Paroquianos participam de formação sobre a Campanha da Fraternidade

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

Como nós pudemos mudar a realidade acerca da violência? Essa foi umas questões abordadas durante a palestra realizada neste sábado (10), no Santuário Nossa Senhora das Candeias, que discute sobre a violência, tema da Campanha da Fraternidade 2018. Ministrada pelo professor de Sociologia da Universidade Católica do Salvador (Ucsal), Marcelo Couto, a formação teve o objetivo de debater as soluções para o problema da violência que assola o nosso país.

Segundo Couto, a impunidade, o desejo do consumo e enfraquecimento das instituições como família, Estado e das relações sociais têm sido fatores que estão contribuindo para o aumento nos casos de violência.“A violência está associada a fraqueza das instituições do que a questão da pobreza”, afirmou o professor.

Ele propõe que a Igreja precisa atuar mostrando caminhos para buscar fortalecer a relação com a comunidade. Couto afirma ainda que a evangelização é o caminho para trazer o novo horizonte a sociedade que é Jesus Cristo.

“Nós temos a receita para a nossa violência que é mais efetiva do que aquela que venha só das políticas públicas, jurídica que é fazer comunidade. Jesus dizia que os cristãos seriam reconhecidos pelo amor. Se tiver mais cristãos vai ter mais violência no Brasil? Não. O que estamos esperando para anunciar a boa notícia do evangelho? O que nós estamos esperando para convidar outras pessoas para participar da comunidade?”, questionou.

Ele nos aponta também que devemos viver e anunciar a boa nova para as pessoas e buscar estar em sintonia com os ensinamentos da igreja. “Sejamos aqueles que testemunham a vida em plenitude. É preciso que a gente viva essa esperança”, disse.

Ao final, os participantes fizeram uma reflexão sobre o tema e alertou a importância da prática da fé cristã para anunciar a boa nova.

Campanha da Fraternidade

Com o tema “Fraternidade e Superação da Violência” e lema: “Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8)”, a campanha nasce com a proposta de discutir a paz e buscar formas de superar a violência que assola o nosso país. O documento, lançado na Quarta-feira de Cinzas, aponta formas e tipos de violência no Brasil, dando destaque às praticadas contra os negros, os jovens e as mulheres. O tema foi escolhido durante a Assembleia Nacional dos Bispos em 2016.

A Campanha da Fraternidade foi criada durante o Concílio Vaticano II em 1964. A partir disso, a Igreja no Brasil propõe a todos os cristãos um período de reflexão que se desenvolve mais intensamente durante o período da Quaresma.

 

Pascom-Santuário Nossa Senhora das Candeias

Comentários: